domingo, 15 de fevereiro de 2009

“Quando é verdadeira, quando nasce da necessidade de dizer, a voz humana não encontra quem a detenha. Se lhe negam a boca, ela fala pelas mãos, pelos olhos ou pelos poros, ou por onde for. Porque todos, todos, temos algo a dizer aos outros, alguma coisa, alguma palavra que merece ser celebrada ou perdoada pelos demais.”

Eduardo Galeano, Celebração da voz humana/2, O Livro dos Abraços

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário