quarta-feira, 6 de maio de 2009

Resumo do texto: “Os ocupantes pré-históricos do litoral brasileiro”

Autora: Maria Dulce Gaspar

Sabe-se hoje que o Brasil é ocupado há mais de quinze mil anos. Do litoral ao interior os povos “pré-históricos” deixaram suas marcas. Essas marcas e suas alterações na paisagem são a base material estudada pela arqueologia.

Um dos grupos que mais chama atenção devido a quantidade de registros são os chamados sambaquieiros. Responsáveis por erigir montes de conchas de até vinte e cinco metros de altura, os sambaquis, do tupi tamba = mariscos, conchas e ki = monte. Esses sambaquis são encontrados em todo o litoral brasileiro, com ênfase ao litoral sul catarinense.




A característica marcante dos sambaquieiros é a forma como acumulavam o seu “lixo”, ou seja, as conchas. Aparentemente o acumulo sistemático dessas conchas leva a crer que o tamanho do sitio vislumbrava prestígio. Isso, lembrando que as pessoas moravam sobre esse “lixo”. Essa área elevada também era uma forma de escapar da umidade e oferecia visão estratégica do entorno local.

A evidência de moradia do sambaqui se dá pelo fato de serem encontrados artefatos de uso cotidiano, bem como esqueletos de pessoas enterrados ritualisticamente, denotando muitas vezes o prestígio da mesma. O fato de não haver indicativo de moradia fora do sitio não quer dizer que os sambaquieiros não explorassem o entorno, pois seus esqueletos revelam membros superiores mais desenvolvidos, insinuando que os mesmos faziam uso de canoas.

Debates hoje em dia giram em torno da alimentação desses povos, pois se evidencia a pesca desde os primórdios da construção dos sambaquis, sendo a abundância de conchas como estratégia para o aterro do terreno também. Apresentam-se variações regionais nos sambaquis brasileiros, o que demonstra a movimentação dos grupos humanos que compunham essa cultura.

Muito se discute ainda do porquê da desestruturação do modo de vida dos sambaquis, assim como a existência ou não de contatos com outros grupos Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário