quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

O problema político dos desastres brasileiros



Seu Madruga, símbolo do jeitinho brasileiro?


Não, não outra vez! De novo esse cara falando de política! Sim, só que dessa vez vou falar de um problema político, não dos problemas dos políticos partidaristas brasileiros, ou seja, nossos “representantes” na administração desse imenso país.
Bem, então porque falar de política sobre os desastres brasileiros? Aliás, que desastres estamos falando? Que tal focar os últimos alagamentos, cheias e enchentes que percorreram nossos telejornais no mês de janeiro? No Rio de Janeiro, por exemplo, ouvimos muito a rede globo(sta) enfatizar várias vezes que o desastre na região serrana tem muito a ver com a administração política do Estado, municípios e União. A partir daí vemos um vai e vem enorme de informações e acusações descabidas que não levam a lugar algum, muito menos amenizam a dor dos que passaram pelos deslizamentos de terra e daqueles que perderam tudo. Liga-se a tevê e novamente São Paulo embaixo d’água, Santa Catarina embaixo d’água, pessoas morrendo, moradores queimando ônibus em sinal de revolta (como se isso fosse mudar alguma coisa), deslizamentos da BR-101. Até quando vamos ouvir e ver isso acontecendo? Pelo menos nós encontramos o vilão de tudo isso: aquecimento global! Eu, particularmente, não acredito no aclamado aquecimento. Muitos cientistas também não. Logo, de quem é a culpa? Ora, meus amigos, dos políticos brasileiros! E quem são eles? Vamos relembrar.
Política, do grego pólis, a cidade-Estado grega, na qual viviam os cidadãos, pessoas de direito. Quem são os políticos hoje? Cada cidadão e cada cidadã brasileira, ou seja, cada um de nós! Nós somos os culpados diretos por todos os problemas que vem ocorrendo nesse país!
Nós escolhemos representantes que não nos representam, nós invadimos áreas inóspitas para morar, somos pobres, Deus, o que faremos? Vamos morar embaixo de alguma ponte ou viaduto? Onde estão as políticas habitacionais para o povo sofrido desse país? É óbvio que vamos morar às margens de córregos e rios e fatalmente seremos levados pelas águas das chuvas! Com certeza subiremos os morros e desceremos nos deslizamentos, porque não queremos mais morar nas ruas! Nós preferimos facilitar tudo, dar um “jeitinho” em tudo, faz parte da nossa cultura, infelizmente, mas é algo que precisa ser extirpado do nosso jeito de ser.
Furamos fila, furamos o semáforo, andamos na contramão, pisamos na grama, gastamos dinheiro escasso em futilidades e ainda queremos ter a razão em tudo. Rimos da desgraça alheia, rimos da própria desgraça e ainda pedimos por respeito! Perdemos um tempo sagrado em frente a um programa estúpido com pessoas estúpidas chamado bigbostabrasil. E apesar disso, ainda queremos ser respeitados. Pessoas ainda choram pelos seus familiares e mesmo assim já entramos no ritmo do carnaval.
São esses os políticos brasileiros, que moram um ao lado do outro, mas falam-se pelo celular. Colocamos todas nossas individualidades no limiar do nosso ser em detrimento de um sentimento coletivo maior. Ser único, cada um já o é, e individualismo é uma coisa necessária para nosso crescimento enquanto seres que buscam ser melhores a cada dia que passa. Ao invés disso, buscamos um crescimento material estapafúrdio que está desgastando o lugar em que vivemos.
Logo estaremos sediando uma copa mundial de futebol e as olimpíadas. Mais pão e circo para o povo e novamente veremos somente o que nossos olhos querem enxergar: o espetáculo emudecedor da mídia a ditar nossos pensamentos. Não veremos as coisas escondidas por debaixo dos panos do circo que se tornou o esporte mundial e ainda há os que batem palmas para esse país que será a sede desses eventos. E com qual estrutura vamos contar? Será que nossos parlamentares cederão parte de sua riqueza para a construção, adaptação e reforma da estrutura necessária?  
Eis alguns dos vínculos existentes entre nossa atuação política e os desastres que aqui acontecem. Quando ouço falar em cultura brasileira sinto calafrios. Num calor tropical de 40° ainda vemos pessoas usando terno e gravata porque dizem que é o correto. Caramba, isso nem tem espaço num país quente como o nosso! Apenas aceitamos isso pela nossa “inferioridade” de mentes colonizadas há mais de quinhentos anos! É decepcionante!
Enquanto levarmos o nosso barco na direção da cópia pura e fiel dos ditames estrangeiros não conseguiremos ter uma cultura própria e nacional. Globalização? Para quem e por quem? Somos esmagados e aplaudimos! Precisamos aprender a pensar, precisamos aprender política, precisamos aprender tolerância e rever nossos valores. A mídia televisiva, impressa e o rádio não podem mais ser nossos moldes de vida e comportamento! Eles nos distraem e nos emburrecem no nosso papel de cidadãos que deve ser sempre ativo!
O mundo está aí, para quem quiser. Desastres aconteceram e sempre acontecerão, não podemos evitá-los. Os rios cobram suas margens e temos que aceitar esse fardo que criamos para nós mesmos. Ou revemos nosso modo de viver, nossos sistemas econômicos e produtivos, ou a natureza vai continuar cada vez mais cobrando o que seu por direito.
Sejamos seres políticos e conscientes de nossos atos.

Wagner Fonseca, 27 de janeiro de 2011
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 comentários:

  1. seu texto disse tudo;;.a realidade e muito triste...

    ResponderExcluir
  2. hehe,muito legal o texto gostei^~


    trollagemvirtual.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Onde está o verdadeiro significado da política...perdeu-se no meio do caminho pela corrupção, ganância e todas aquelas coisas que já sabemos...Temos que começar por nós mesmos, tentar não se render à corrupçaõ diária.

    ResponderExcluir
  4. Putz... Gostei muito do seu texto

    Acho que vc disse tudo já no começo..."Outro cara falando de política"...
    Não é novidade achar que política é um assunto não discutido pelo povo, que acha que nada do que pode fazer vai mudar alguma coisa...
    Sabe, eu mesmo vou confessar isso agora

    Por exemplo, nós jovens não temos incentivos nenhum para entrar nesse mundo político
    Hoje só vemos coisas ruins da política, escândalos, sujeira, reclamações
    REINVINDICAR nossos direitos sozinhos nunca dá em nada...E é esse pensamento que nos afasta
    Esse mundo capitalista, individualista só nos ensina a pensarmos em nós mesmos, no mercado de trabalho que nos espera, no padrão de vida que poderemos ter
    Enquanto isso, a televisão só mostra porcarias mesmo, isso não é novidade, nos empurram modelos de vida americano e europeu, todo conteúdo estrangeirizado, nos fazem ficar alheios a nossa própria realidade, a não gostar da nossa cultura, e do nosso próprio POVO
    Isso para continuarmos alienados... Sem olhar o que acontece a nossa volta, sem coragem e força para interferir em nada
    Aí ...ainda para nos entreter colocam Copa do Mundo e Olimpíadas num país de Milhões de analfabetos, de pessoas que passam fome, de crianças abandonadas, de moradores de rua, de desempregados, onde a educação é de péssima qualidade
    Assim deixamos as necessidades básicas de lado... correndo atrás de coisas efêmeras que não vão de nenhuma forma, nos fazer crescer

    ResponderExcluir
  5. PORQUE OS JORNAIS ESTÃO DIVULGANDO POUCO OS CONFLITOS ENTRE A POPULAÇÃO CONTRA O GOVERNO, NO EGITO E NA TUNÍSIA? PORQUE TEMEM QUE A GENTE APRENDA COM O EXEMPLO. ESTÁ MAIS DO QUE NA HORA DE COMEÇAR UMAS EXPLOSÕES POR PARTE DA POPULAÇÃO AQUI NO BRASIL. ESTÁ NA HORA DE NOR UNIRMOS E SITIAR BRASÍLIA. SE A COISA NÃO MUDA POR PROTESTOS PACÍFICOS, TÁ NA HORA DE FAZERMOS PROTESTOS RADICAIS, POIS NÃO É O POVO QUE TEM QUE TER MEDO DO GOVERNO; É O GOVERNO QUEM TEM QUE TER MEDO DO POVO.

    ResponderExcluir
  6. Divulgando o lançamento do meu novo livro: CONTOS LACONIZADOS!
    Disponível para download no link:
    http://adegadobardo.blogspot.com/2011/02/contos-laconizados-o-novo-livro-de.html

    (Apague esse comentário se for contra propaganda gratuita no seu blog. Na verdade meu interesse é que VOCÊ dê uma olhada no livro.)

    Obrigado =]

    ResponderExcluir